segunda-feira, setembro 15, 2008

Vitória justa?


Taj de cara: duas notas 9 e prioridade não foram suficientes

"Achei que havia vencido. E senti que dariam a vitória para ele".
Tradução livre da declaração de Taj Burrow para a Surfline: "I felt like I won. I just had a feeling that they were going to give it to him".

A imprensa não questiona a vitória de Slater em Trestles, mas há quem o faça. A final foi equilibrada e, como de hábito, as opiniões oscilam entre tietagem fanática e teorias conspiratórias. Quem tem razão?

A primeira viagem internacional que fiz como editor da revista Inside foi para a França, em 1994 - portanto há 14 anos, quando Slater foi bicampeão mundial. A perna francesa tinha então três das 10 etapas da temporada.

Na primeira, em Lacanau, lembro da vitória discutível de Slater sobre Kaipo Jaquias nas oitavas-de-final. "Não é de hoje que se ouvem reclamações sobre a supervalorização das ondas de Slater", escreveria Zé Lúcio na Fluir. "A ASP quer que ele vença", me disse depois em entrevista o próprio Jaquias, em Hossegor.

O debate, portanto, não é recente.

Naquele ano, as duas etapas restantes na França foram vencidas por brasileiros: Flávio Padaratz, em Hossegor, e Ricardo Tatuí, em Biarritz. Ambos, curiosamente, derrotaram KS: Teco na final e Tatuí na 3ª fase.

Os juízes favorecem Slater? Prejudicam os brasileiros?

Semana que vem começa a 8ª etapa do WCT, em Hossegor. Se vencer mais essa, Slater pode garantir o nonacacampeonato, o que na minha opinião seria muito ruim. Entre outras razões, porque ele tira muita onda.

Dois fatos abateram o "time brasileiro" na etapa recém-encerrada: a contusão do Neco Padaratz (pouco noticiada pela imprensa, aliás) em um momento que pode comprometer a temporada; e a recusa da imigração em permitir a entrada do Leonardo Neves no país - o que já havia acontecido com Jihad Kohdr em 2006. Menos mal que Adriano manteve a média e Heitor conseguiu seu melhor resultado até agora.

Mais: Debate no Goiabada, do Júlio Adler (leia os comentários)

1 Comentários:

Luis Guilherme "Coruja" disse...

Parabéns a excelente página, to viajando aqui olhando esse turbilhão de informações!! Ta show!

Primeiramente sobre o polêmico resultado da final do Boost Mobile Pro 2008, Slater, ao meu ver, foi merecedor sim da vitória. Se compararmos as principais notas da final fica mais fácil de analisar. Enquanto Taj deu mais manobras por onda, sua variação foi peguena, sem tanto comprometimento e grau de risco das manobras no outside, além de pouquíssima variação(vide seu 9.00, 3 rasgadas iguais no início da onda). Kelly demonstrou, e vem demonstrando, uma variação de manobras enorme, sempre surfando na parte mais crítica da onda e com grau de risco e comprometimento realmente impressionantes. Slater surfou sempre trocando de borda, sem bumps nas cavadas, com movimentos limpos e contínuos, fluidez e radicalidade. De qualquer forma, quem fosse o vencedor desta final memorável, haveriam comentários sobre a decisão dos juízes, visto que a diferença foi de apenas 0.34 pontos.

Quanto ao recorde de mais vitórias numa temporada, KS tem 7 em 1996, Tom Curren tem 7 em 1990 e Damien Hardman tem 9 em 1988, no entanto estes 2 últimos venceram etapas na época em que não existia WQS e WCT, era apenas uma divisão, com um grande número de etapas. Portanto Kelly tem que vencer mais 2 eventos(de 4 restantes) este ano para bater seu própro recorde de 1996. Alguém duvída?

Boas ondas a todos!