quarta-feira, julho 25, 2007

1988 - 2ª etapa do Circuito Brasileiro

1º Sea Club Surf
2ª etapa do Circuito Brasileiro
Local: Itamambuca, Ubatuba (SP)
Data: 23 a 28 de fevereiro de 1988

Resultado
1º. Jojó de Olivença (BA)
2º. Ricardo Toledo (SP)
3º. Neno Matos (SP)
3º. Eraldo Gueiros (PE)
5º. David Husadel (SC)
5º. Marcelo Bôscoli (RJ)
5º. Paulo Matos (SP)
5º. Dadá Figueiredo (RJ)

Semifinais
Jojó de Olivença d. Neno Matos
Ricardo Toledo d. Eraldo Gueiros

Quartas-de-final
Neno Matos d. David Husadel
Jojó de Olivença d. Marcelo Bôscoli
Eraldo Gueiros d. Paulo Matos
Ricardo Toledo d. Dadá Figueiredo

Oitavas-de-final
Neno Matos d. Felipe Dantas
David Husadel d. Rodolfo Lima
Marcelo Bôscoli d. Adalvo Argolo
Jojó de Olivença d. Douglas Lima
Paulo Matos d. Almir Salazar
Eraldo Gueiros d. Otaviano Bueno
Dadá Figueiredo d. Marcelo Maia
Ricardo Toledo d. Carlos Burle

Ranking após 2ª etapa
1º. Jojó de Olivença (BA) - 1.730 pts
2º. Ricardo Toledo (SP) - 1.590
3º. Roberto Casquinha (RJ) - 1.310
3º. Neno Matos (SP) - 1.230
5º. Fernando Bittencourt (RJ) - 1.170


Informações complementares:
Segundo a reportagem, Ubatuba esteve quase isolada durante o evento, devido à enchente que causou desmoronamentos nas estradas e deixou a cidade em estado de calamidade pública. A única rodovia aberta após as chuvas foi a de Taubaté.
O primeiro dia, quarta-feira, teve "sol forte, ondas, um locutor tranquilo, som perfeito (...) e pouco público". Assim como na etapa anterior, foi realizada uma triagem amadora, com 64 atletas (no Op, no Rio de Janeiro, foram 200 trialistas). Duas fases de triagem amadora classificaram 16 surfistas para a 1ª fase da triagem profissional.
O assunto durante o evento foi a conquista do Mundial Amador de Porto Rico por Fábio Gouveia.
A triagem profissional começou na quinta-feira, com 80 surfistas divididos em 20 baterias de 4 competidores. O texto destaca Tequinho do Tombo, Dodô de Melo (recém profissionalizado), Ricardo Toledo e o amador Douglas Lima.
Ricardo Toledo e Tinguinha Lima foram penalizados por ter participado no ano anterior de um evento não reconhecido pela Abrasp - apesar de serem back 14, ambos competiram desde a primeira fase da triagem.
A 2ª fase da triagem também aconteceu na quinta, com "mar regular, pouco mexido, a correnteza de leste empurrava as ondas para as pedras". A reportagem destaca Sérgio Testinha.
O 3º dia também teve sol e "as ondas melhoraram um pouco". A 3ª e penúltima fase da triagem teve quatro baterias de cinco atletas (somente um era eliminado), classificando 16 para enfrentar os primeiros pré-classificados (do 30º ao 46º do ranking 87) em baterias de quatro competidores cada. O texto menciona a bateria entre Marcelo Maia, Ricardo Toledo, Rosaldo Cavalcanti, Zecão e Tinguinha, na qual o local Zecão foi eliminado.
A última fase da triagem teve oito baterias de quatro atletas, classificando 16 trialistas para o evento principal - eles enfrentaram então os back 14 e dois wilcards em baterias homem-a-homem. O texto destaca os amadores Luis Saraiva e Douglas Lima, Carlos Santos, Ícaro Cavalheiro, Otaviano Bueno e Marcus Brasa.
Na 1ª fase do evento principal, apenas cinco back 14 conseguiram avançar - as outras baterias foram vencidas por trialistas (o texto relata que na primeira etapa, nove back 14 venceram na estréia). Os dois wildcards do Sea Club perderam na estréia - Fernando Bittencourt para Ricardo Toledo e César Baltazar para Tinguinha Lima. Nesta fase, o texto de Bicudo destaca: Douglas Lima, Marcelo Maia, Marcus Brasa (d. Ivan Junkes) e Renato Phebo.
No sábado, o mar e o público "aumentaram um pouco" para a entrada dos top 16. Bicudo listou na reportagem os vencedores da fase: Felipe Dantas, Neno Matos, Rodolfo Lima, David Husadel (todos top 16), Marcelo Bôscoli, Adalvo Argolo, Jojó de Olivença (d. Sérgio Noronha), Douglas Lima, Paulo Matos, Almir Salazar, Otaviano Bueno, Eraldo Gueiros (d. Tinguinha Lima), Dadá Figueiredo, Marcelo Maia, Carlos Burle e Ricardo Toledo. Burle venceu Phebo de virada, após o adversário perder a prioridade no final da bateria. Douglas Lima foi o melhor amador no evento.
Nas oitavas, o texto relata cada bateria e destaca a vitória de Dadá Figueiredo, que "despachou todo seu arsenal de manobras mirabolantes".
O domingo decisivo teve as quartas-de-final a partir das 7h da manhã, seguido das disputas de longboard, semifinais e final (encerrando por volta das 14h). Nas quartas, Neno Matos dominou a bateria com David Husadel desde o início - os dois haviam se enfrentado três vezes antes, com vitória de Husadel no Op e de Neno no Town&Country e no Sundek. Jojó de Olivença tirou um tubo nota 9,5 em sua primeira onda na vitória sobre Marcelo Bôscoli, o último trialista no evento. Ricardo Toledo repetiu a vitória do Op sobre Dadá Figueiredo.
Foi a primeira vitória de Jojó de Olivença em um evento nacional e a primeira de um Atleta de Cristo - grupo que incluía ainda Tinguinha Lima, Bita Pereira, Nelson Ferreira e Kias de Souza, entre outros. Jojó terminou em 3º na primeira etapa (o Op) e, segundo o texto, após a conquista do Sea Club estava praticamente garantido entre os top 16 da temporada.

Fonte: matéria de cinco páginas na edição nº 21 da revista Inside (abril e maio/1988), com texto de Marcos Bicudo e fotos de Alberto Dias.

Mais: Todas as etapas do Brasileiro 1988
Todos os eventos cadastrados de 1988

0 Comentários: